Terça-feira, 5 de Junho de 2007

Menino pobre

 

 

 

 

 

Deixa-me dizer-te, menino pobre,

Que a minha revolta é brutal!

Não porque só comas o que sobre,

Mas porque te forçam a tanto mal…

 

E se me revolto, indigno e grito

De raiva e dilacerante horror,

É porque te sinto sofredor, aflito,

Perdido, sem sorte, sem amor…

 

Deixa-me dizer-te, menino esfomeado,

Que me salta o sangue das artérias

Por te saber assim: só, abandonado…

No inferno onde vives (?) tais misérias…

 

E como eu odeio o mundo onde habito

Pelo que de tanto mal te força a ter!...

Por te obrigarem a estar, menino bendito,

Aí, onde a morte é mais digna que o viver!

publicado por ferrus às 02:04
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

.Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Renascer

. Um ser sereno

. Eu...

. Cortem-me...

. Dia do Motociclista

. Tu aí!

. O casulo da Vida

. Um beijo, meu pai

. Vou...

. Amigo Zé Freire

.arquivos

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds