Sexta-feira, 7 de Setembro de 2007

Quando...

(foto retirada da net)

 

 

 

Quando as nossas mãos se beijam
Ou os braços nos envolvem os corpos
Com carícias de mel e rosmaninho…
Quando os nossos corpos se fundem
Ou os lábios trocam únicos segredos
Com vontades de eternos amantes…
Quando os nossos olhares se tocam
Ou os sons surgem em únicos dialectos
Com linguagem própria de ternos amores…
 
Quando somos imenso
[sempre!],
O infinito escuta-nos
E imita o nosso bailado.
 

publicado por ferrus às 14:09
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De nadir a 8 de Setembro de 2007 às 22:06
dialectos de ternura...
beijos

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

.Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Renascer

. Um ser sereno

. Eu...

. Cortem-me...

. Dia do Motociclista

. Tu aí!

. O casulo da Vida

. Um beijo, meu pai

. Vou...

. Amigo Zé Freire

.arquivos

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds